Free Web Site - Free Web Space and Site Hosting - Web Hosting - Internet Store and Ecommerce Solution Provider - High Speed Internet
Search the Web

 

 

 

Exu

 

NOME: Bara e Exu

 

SAUDAÇÃO: Alupo ou Alalupo, Larôye Exu - “o bem falante”

 

COR: vermelho, vermelho e preto, preto

 

DIA DA SEMANA: segunda feira

 

ADORNO: chave, Obé Fará - tridente, Ogó (pênis ereto)

 

DOMÍNIO: caminhos, encruzilhadas, portões

 

AXÉ: ligação do material com o espiritual, comunicação, movimento, fecundação, abertura de caminhos para os negócios, descarrego

 

KIZILA: Adin (óleo de coquinho de dendê)

 

oferenda: Mi-Ami-Mi (farinha de mandioca com dendê) Padê Branco (farinha de mandioca com mel) Acaçá Branco (milho branco de canjica, moído e enrolado na folha da bananeira depois de cozido) Eram (Fígado, coração e bofe de boi, cortados em pedaços moídos, misturados com Azeite de Dendê, camarão seco socado e cebolas cortadas em rodelas, num oberó)

 

SACRIFÍCIO: bode, cabrito, galo, galinha d’angola

 

INTRODUÇÃO

exu ou Bara-Exu é o senhor dos caminhos, caminhos que levam e trazem e fazem as pessoas se encontrarem ou distanciarem-se. É quem faz com que os ritos sejam cumpridos. Principal responsável pela ligação do mundo espiritual ao mundo material, (Orun-Aiyé). Entre dois caminhos lá está ele guardando, indicando. Não se faz nada pelo candomblé ou nação antes de agradar Bara, pois é o único orixá que faz o elo de ligação entre nós e os demais orixás. Tanto na passagem, como na comunicação, por isso é considerado o mensageiro. exu é um orixá tão importante quanto todos os outros orixás. Por ser mais ligado com o mundo terrestre, possui certos costumes e temperamentos parecidos com os dos seres humanos. exu é erradamente sincretizado pelo diabo cristão. Por ser um orixá que cuida dos caminhos onde percorrem homens, orixás, espíritos, etc. e sendo o elo de ligação entre esses mundos, exu possui múltiplo contraditório, sendo bom e mau, astuto, grosseiro, indecente, protetor, alegre, brincalhão, violento, etc., ou seja, é o orixá mais humanizado do panteão, pois em seus arquétipos incluem-se as impurezas causadas ou existentes nos homens. Devido a esses aspectos foi sincretizado pelos primeiros missionários com o Diabo Cristão. Todo orixá possui o seu Bara, que é representado por um quartinhão onde são colocados 21 cauris (búzios), que é chamado de Kolobô.

 

ARQUÉTIPOS

Os filhos de Bara possuem um caráter imprevisível. Ora são bravos, intrigantes e ficam muito contrariados, ora são pessoas inteligentes e compreensivas com os problemas dos outros. Não aceitam derrotas, são melindrosos, de temperamento difícil. Se você tiver desentendimento com algum filho de exu, aguarde que haverá retorno. Seus filhos precisam estar sempre em atividade para poderem liberar toda energia que possuem. Possuem muita tendência à espiritualidade; são fiéis fervorosos que esbanjam fé...

 

LENDAS

Todos os orixás possuem muitas lendas, passadas de boca em boca durante milhares de anos. Citamos aqui duas lendas referentes a Exu/Bara. Uma mulher que esqueceu de alimentar exu. Encontra-se no mercado vendendo os seus produtos. exu põe fogo na sua casa, ela corre pra lá, abandonando seu negócio. A mulher chega tarde, a casa está queimada e, durante esse tempo, um ladrão levou suas mercadorias. Nada disso teria acontecido - se tivesse feito a exu as oferendas e os sacrifícios usuais ou em primeiro lugar. Um dia, Oxalá cansado de ser zombado e trapaceado por exu, pois Oxalá era muito orgulhoso e geralmente não agradava exu por ser um orixá mais velho. Decidiu combater exu para ver quem era o orixá mais forte e respeitado. E foi aí que Oxalá provou a sua superioridade, pois durante o combate, Oxalá apoderou-se da cabaça de Bara a qual continha o seu poder mágico, transformando-o assim em seu servo. Foi desde então que Oxalá permitiu que exu recebesse todas as oferendas e sacrifícios em primeiro lugar...

 

QUALIDADES

Bara (do corpo), Odara, Akesan, Lalu, Ijelu, Igbarabô, Yangí, Baraketu (da porteira), Lonan (dos caminhos), Inan (reverenciado no Ipadê)

 

ERVAS LITÚRGICAS

Odun-dun - Folha-da-costa -- Teté - Bredo sem espinhos -- Orim-rim - Alfavaquinha -- Pepé - Malmequer bravo -- Labre - Tiririca -- Kanan-kanan - Folha de bobó -- Kan-kan - Cansanção de porco -- Inã - Cansanção branco de leite -- Aberê - Picão da praia, carrapicho de agulha.

 

 

 

 

Voltar

 

 

 

Web Designer: Thais Pires